PUBLICAÇÕES

NEWS

Economistas divergem sobre adiar meta de inflação para 2024

Alguns dos mais experientes economistas do país entraram na polêmica sobre se o Banco Central deve seguir subindo os juros ou se deve evitar pegar tão pesado agora e adiar o cumprimento da meta de inflação em 2024.

No 8º Seminário Anual de Política Monetária, promovido na quarta-feira pelo IbreFGV, com apoio do Valor, o ex-presidente do BC Affonso Celso Pastore defendeu “proatividade na subida da taxa de juros” para evitar maiores custos da desancoragem das expectativas de inflação. Sua posição foi alinhada, em muitos aspectos, à do ex-diretor do BC José Júlio Senna.

Do outro lado, o também ex-diretor do BC Eduardo Loyo defendeu que a estratégia de política monetária que envolve menos custos, nas circunstâncias atuais, é adiar o cumprimento da meta de inflação para 2024, já que fazê-lo em 2023 tornou-se pouco crível e dificulta a própria ancoragem das expectativas.

BY ALEXSANDER QUEIROZ SILVA
Fonte: Valor Investe

Voltar