PUBLICAÇÕES

NEWS

Vieses de comportamento e decisões financeiras

Às vezes, pode parecer difícil associar as emoções com as decisões financeiras. Afinal, quando estamos tratando de um assunto que julgamos ser plenamente racional, como as decisões que envolvem dinheiro, temos a impressão de que todas as escolhas feitas no mundo dos investimentos estão fortemente atreladas ao nosso lado mais racional

Mas a coisa pode não ser bem assim.

Neste artigo, você irá perceber que muitas das decisões feitas no mercado financeiro estão mais próximas das emoções e dos fatores psicológicos do que da razão fria e pura.

Ficou interessado?

Então vamos lá!

O que são vieses comportamentais?

De uma forma geral, podemos dizer que os vieses de comportamento são fatores psicológicos capazes de impactar a forma como uma pessoa toma uma determinada decisão. Os vieses violam, sistematicamente, as chamadas “decisões plenamente racionais”.

Vejamos: em decisões plenamente racionais, nenhum ser humano daria dinheiro para outra pessoa sem que isso fosse lhe trazer algum benefício financeiro. Ou, então, jamais entraria em algum jogo ou aposta, caso não tivesse uma chance muito boa de obter ganhos.

Entretanto, dar dinheiro para alguém necessitado, fazer um “joguinho” no bolão da firma (principalmente quando o prêmio está acumulado) ou apostar com algum colega que “você pode ganhar mais massa muscular em x dias do que ele” é algo comum entre os seres humanos.

De fato, existe um leque enorme de exemplos que mostram que muitas decisões não são, nem de longe, plenamente racionais. E, no mundo dos investimentos, não é diferente.

Em finanças, por exemplo, ter uma autoconfiança excessiva no próprio conhecimento, acreditar que existe um “guru” dos investimentos que nunca erra, manter por muito tempo um investimento que está dando prejuízo ou buscar informações que comprovem suas próprias convicções são alguns exemplos clássicos da atuação dos vieses de comportamento nas decisões financeiras.

Quais são os principais vieses comportamentais?

Existem muitos vieses de comportamentos já mapeados pelos cientistas, mas, quando se trata de finanças, alguns são mais facilmente observados.

Excesso de Confianças 

Quem nunca ouviu alguém dizer “tenho certeza absoluta de que estou certo” e, com o passar do tempo, a certeza não era tão certa assim? Pois bem, eis o viés de excesso de confianças aparecendo por aí. No mundo dos investimentos, não é incomum que muitos investidores acreditem, em excesso, nas informações que detêm ou acreditem demais nas habilidades que possuem para avaliar se um investimento é bom ou ruim.

Não é errado ter autoconfianças, de fato ter confiança em si mesmo é uma qualidade indispensável para a vida humana. Entretanto, uma confiança em excesso pode te deixar “otimista demais” e fazer com que sua capacidade de análise, de determinada situação ou investimento, seja prejudicada.

Não conseguir identificar, por exemplo, qual o momento certo de entrar ou de sair de um determinado investimento, ou quais os riscos efetivos de determinada operação, pode fazer com que o investidor acabe tomando decisões de investimento ruins.

Por isso, questionar se “estou mesmo correto?” pode abrir uma porta de oportunidades. Estudar mais, ouvir o que os especialistas estão dizendo sobre determinado investimento, saber se o objetivo daquela aplicação está relacionado com os seus investimentos, além de saber qual o seu perfil de investidor, pode trazer bons resultados financeiros.

Viés da Confirmação 

Quando você busca informação, é sempre nos mesmos lugares?

Tudo que você lê sempre reforça o que você já estava pensando ou traz um ponto de vista diferente do seu?

Como você se sente quando lê algo que está em desacordo com o que você acredita ser o certo?

Investidores que possuem esse viés muito forte costumam buscar sempre confirmar suas opiniões. Nesse sentido, podem ficar presos em se informar nos mesmos canais ou acreditar que existe um “guru” dos investimentos que está sempre certo, fazendo com que o investidor viva em negação. Ou seja, desacreditam de qualquer informação que não está alinhada com suas crenças.

As respostas para as três perguntas colocadas acima podem te ajudar a driblar o viés da confirmação. Afinal, é sempre bom lembrar que, nos investimentos, assim como na vida, nada é permanente, tudo pode mudar de uma hora para outra. É importante saber que existem muitas assimetrias de informação, e o que se acredita hoje que seja verdade, amanhã pode não ser bem assim. A dica aqui é: fique sempre ligado nos acontecimentos e busque sempre uma segunda opinião –mesmo que essa seja divergente da sua. O importante é estar atento para tudo que está rolando no mercado.

Viés da Ancoragem 

A ancoragem é um dos vieses comportamentais mais comuns e se refere à tendência que nós, humanos, temos de nos basear, de forma intensa, em uma característica ou informação prévia quando temos que tomar uma determinada decisão.

Nos investimentos, a ancoragem pode acontecer de várias maneiras, seja utilizando uma única característica do investimento para tomar uma decisão, seja utilizando informações passadas.

Não é incomum muitos investidores basearem suas decisões de investimento olhando preço ou rentabilidade passada de um investimento. Porém tome cuidado! Esse tipo de atitude pode estar fortemente correlacionado ao viés da ancoragem. Além disso, é sempre bom lembrar: rendimento passado não é garantia de rendimento futuro.

Como lidar com os vieses de comportamento na hora de investir? 

Ao chegar até aqui, você já aprendeu que os vieses de comportamento podem impactar diretamente na sua avaliação e tomada de decisões de investimento, certo? Mas, então, como fazer boas escolhas?

Uma dica importante: mantenha-se sempre atento ao seu processo de julgamento e às suas emoções. Sendo assim, a melhor alternativa é avaliar bem as situações, buscar sempre uma análise especializada, manter-se sempre bem informado e buscar ampliar seus conhecimentos. E, claro, diversifique não só a carteira de investimentos, mas também os meios de informação.

Conhecer qual é o seu perfil de investidor e definir bem seus objetivos e estratégias de investimento também é superimportante.

Até aqui, você já deu um passo importante nessa direção. Agora você conhece alguns vieses comportamentais e pode começar a trabalhar para identificá-los e superá-los.

BY ALEXSANDER QUEIROZ SILVA
Fonte: Como Investir | ANBIMA

Voltar